Eles estiveram nos laboratórios utilizados pelos pesquisadores, assistiram palestras e fizeram recomendações sobre como envolver instituições menores nos esforços de pesquisa do Centro.

Na última sexta-feira (5/10), representantes da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e da Shell visitaram o Research Centre for Gas Innovation (RCGI), quando puderam conhecer mais sobre o trabalho do Centro, alguns de seus laboratórios e projetos de pesquisa. Da parte da ANP, estiveram presentes Alfredo Renault, superintendente de Pesquisa e Desenvolvimento, e José Carlos Tigre, Conselheiro Técnico de P&D da agência. Da parte da Shell foram: Alexandre Breda, coordenador técnico científico; Jane Zhang, gerente geral de Tecnologia para o Brasil; Flavio Rodrigues, gerente de relações governamentais; Regis Assao, gerente de Parceria; e Mariana Marques, conselheira para Assuntos Regulatórios.

“O objetivo da visita era mostrar para os convidados o que é feito com o dinheiro da chamada cláusula de pesquisa, desenvolvimento e inovação (P,D&I), que obriga as empresas a fazerem investimento em P,D&I tanto nos contratos de concessão como nos de partilha. Mostramos alguns resultados, em forma de artigos publicados ou em vias de publicação; de mensurações feitas pelos pesquisadores que trabalham com combustão; de livros da coleção RCGI/USP/Synergia. E também equipamentos adquiridos com a verba que vem da cláusula de PD&I, por meio da Shell. Eles ficaram bastante satisfeitos”, afirmou o vice-diretor científico do RCGI, Bruno Carmo, um dos professores que ciceroneou o grupo.

Os visitantes foram recebidos pelos professores Gustavo Assi, Emilio Carlos Silva, Guenther Krieger Filho, Rita Maria Brito Alves e Hirdan Costa – todos integrantes do RCGI, além de Tiago Lopes, do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) e Antonio Mauro Saraiva, que representou o pró-reitor de Pesquisa da USP, Sylvio Roberto Accioly Canuto. Pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), esteve presente o professor Hernan Chaimovich.

No período da manhã, Antonio Mauro Saraiva elencou os desafios da Pró-Reitoria de Pesquisa da USP; Alexandre Breda discorreu acerca do tema tecnologia, sob a perspectiva da Shell; Carmo fez uma apresentação do RCGI, Gustavo Assi falou sobre as iniciativas de difusão de conhecimento do Centro. Em seguida, eles visitaram o Laboratório do Núcleo de Dinâmica de Fluidos (NDF), o Laboratório Avançado de Combustão, o Centro de Estudos de Sistemas Químicos (CESQ) e o Centro de Células a Combustível e Hidrogênio do IPEN.

Segundo Carmo, uma das recomendações de Alfredo Renault foi que o Centro deveria tentar envolver também instituições de menor porte, de outros lugares do País.

“A ANP explicou que, a princípio, imaginou-se que o dinheiro seria utilizado mais democraticamente se fosse aplicado em iniciativas espalhadas pelo País. Entretanto, nem todas as instituições estão aptas a se tornar, ou abrigar, centros de inovação, que é o que se espera. Assim, a ANP sugere que as instituições que têm essa vocação assumam uma missão de tutoria, que chamem outras universidades, instituições menores, e as envolvam nos projetos.”