Prêmio foi entregue durante a conferência Energy Transition, Research & Innovation, em outubro. Iniciativa deverá se repetir nos próximos anos.

Pela primeira vez, este ano, o Fapesp Shell Research Centre for Gas Innovation (RCGI) premiou sete pessoas que se destacaram pelas atividades desenvolvidas junto ao Centro no último ano. Trata-se do ETRI Excellency Awards, que foi entregue em outubro, durante a Energy Transition, Research & Innovation (ETRI), conferência realizada pelo RCGI na capital paulista. Os candidatos foram indicados pelos coordenadores dos programas do RCGI e os vencedores foram escolhidos por um comitê nomeado pelo Comitê Executivo do RCGI.

Os premiados foram: Vitor Harano Alves (Aluno de Graduação), Nathalia Weber (Aluno de Mestrado), Leticia Oliveira Bispo Cardoso (Aluno de Doutorado), Naiyer Razmara (Postdoc Associado), Thiago Lopes (Pesquisador Associado), Leandro Grandin (Consultor Associado), Emílio Carlos Nelli Silva (Docente) e Gabriel Penna (Funcionário destaque da equipe administrativa, in memorian).

“Eu tenho me dedicado bastante ao RCGI e aos projetos que coordeno aqui. Estou muito feliz com o prêmio. O RCGI tem uma equipe formada por pessoas muito competentes”, ressalta o professor Emílio Carlos Nelli Silva, que lidera os projetos 5 (Otimização de projeto de sistemas de armazenagem de gás natural por adsorção) e 10 (Otimização topológica de juntas labirinto). Ele lembra que o propósito do RCGI, como polo de pesquisas focado em abatimento de carbono, é nobre. “As pesquisas com abatimento de carbono nos motivam muito, pois possibilitam aplicarmos os conhecimentos que já possuímos em uma área de extrema relevância.”

Já Nathalia Weber destaca o significado do prêmio para sua carreira. Bolsista do RCGI no mestrado, ela é cofundadora do grupo de percepção pública sobre captura e armazenamento de carbono (CCS) no Centro, que começou suas atividades ano passado. “O RCGI abriu as portas e deu todo o suporte para que desenvolvêssemos as atividades do grupo de percepção pública. Houve muitas discussões, recebemos professores de fora”, explica, quando perguntada sobre as atividades que, em sua opinião, acabaram lhe rendendo o prêmio.

“Foi uma surpresa para mim. Eu recebi um e-mail dizendo que havia sido indicada para o prêmio”, disse ela, que acaba de voltar de uma temporada na França, no Instituto Francês do Petróleo (IFP). “Creio eu essa temporada lá também renderá boas perspectivas para parcerias com o RCGI”, diz a integrante do projeto 36 (Armazenamento de Carbono em Reservatórios Geológicos no Brasil: Perspectivas para CCS em Reservatórios de Petróleo Não Convencionais “onshore” e de Bacias Sedimentares “offshore” do Sudeste do Brasil)

Segundo ela, o RCGI abraça e incentiva novas ideias, além de ser reconhecido na área de estudos de CCS. “Creio que um prêmio como este dá mais credibilidade à minha pesquisa”, diz Nathalia.

O diretor de difusão de conhecimento do RCGI, Gustavo Assi, afirma que o reconhecimento dos premiados leva em consideração “o conjunto da obra” dos indicados. “Foram levados em conta publicações, participações em conferências, impactos das publicações, mas não só isso. Também o envolvimento com as atividades do RCGI, participações em eventos, enfim, as contribuições em diversos níveis.”

De acordo com ele, a partir de agora a ideia é realizar o ETRI Excellency Awards todo ano.