Promovido pela Fapesp e pelo Conselho de Pesquisa da Noruega, evento vai discutir o desenvolvimento de novos sistemas de produção, utilização e distribuição eficiente e de energia.

O diretor acadêmico do Centro de Pesquisa para Inovação em Gás Natural (RCGI), professor Julio Meneghini, participa no próximo dia 21de setembro do seminário Energy for the Future (http://fapesp.br/eventos/eff), organizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e pelo Conselho de Pesquisa da Noruega. O seminário irá apresentar e discutir temas para colaboração em pesquisas futuras sobre produção, distribuição e utilização de energia entre instituições brasileiras e norueguesas.

O acesso à energia é importante em todas as áreas da sociedade e a demanda está aumentando continuamente no mundo. Desafios ambientais e climáticos exigem uma rápida transição para produção e utilização de recursos energéticos renováveis. No entanto, ao mesmo tempo, sabe-se que o mundo vai depender dos combustíveis fósseis por muitos anos. Meneghini participará de uma sessão vespertina intitulada Oil and Gas Related Research, apresentando os projetos do RCGI e discorrendo sobre novas tecnologias para produção offshore do óleo e gás.

“Vou falar sobre os grandes desafios que nós temos no pré-sal, entre os quais a exploração de óleo e gás em águas ultraprofundas (mais de 2.500 metros de profundidade); a concepção de dutos que transportem óleo e gás do poço até a plataforma; a concepção de hubs de produção de eletricidade offshore (tecnologias que permitam gerar eletricidade usando gás natural para alimentar os equipamentos submarinos e outras plataformas); o desenvolvimento de separadores de gases (metano e dióxido de carbono); de plataformas flutuantes de liquefação do gás natural, entre outros”, adianta.

Segundo ele, todos esses desafios são objeto de pesquisas do RCGI, da Escola Politécnica da USP e de outras instituições, como o Instituto de Oceanografia da USP. “Estamos todos estudando formas de produzir e utilizar o gás natural de maneira inteligente, gerando eletricidade ou energia com o mínimo de emissões. E também formas de utilizar o óleo e o gás como insumos para a indústria petroquímica, transformando-os em outras coisas, como polímeros, por exemplo, ao mesmo tempo em que evitamos as emissões de carbono para a atmosfera. Nossa missão é fazer com que os combustíveis fósseis sejam utilizados de maneira mais limpa, sem causar danos para o meio e buscado a meta de emissões zero.”