Seminário fez uma introdução sobre os estudos feitos com base em modelos de catálises e apresentou resultados de diferentes áreas de pesquisa

No dia 20 de abril, o físico-químico Hans-Joachim Freund, do Instituto Max-Planck, fez um seminário sobre catálise heterogênea no Departamento de Engenharia Química da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). O seminário, organizado pelo Centro de Pesquisa para Inovação em Gás Natural (“Research Centre for Gas Innovation” – RCGI, na sigla em inglês), abordou o entendimento da catálise e, em particular, da catálise heterogênea, com base na investigação por sistemas de modelagem. Intitulado “Modelos para catalisadores heterogêneos: uma abordagem em nível atômico”, o evento foi gratuito e aberto ao público.

Os físico-químicos são os precursores do modelo químico de superfície única de metal cristal, um êxito na comunidade científica. O aumento da complexidade dos modelos que usam nano-partículas como base, assemelhando-se a uma verdadeira dispersão metálico catalisadora, permite que se alcance alguns dos aspectos importantes que não podem ser cobertos por modelos que usam cristais apenas. Trata-se de um dos mais importantes aspectos da interface por suporte de partículas.

“Desenvolvemos estratégias para preparar esses sistemas modelares com base em filmes óxidos cristalinos que são usados como suporte para nanopartículas de óxido e de metal, cuja estrutura geométrica, morfologia, estrutura elétrica, assim como a interação e a reação com moléculas da fase gasosa podem ser estudadas em nível atômico”, explica Freund.

Depois de uma introdução geral para estudos de modelos em catálises, o palestrante apresentou os resultados de diferentes áreas de pesquisa: eles incluem terminações de superfícies de óxido, morfologia em 2D e 3D, e a estrutura geométrica e eletrônica das nanopartículas de metal usadas, em relação à reatividade do CO2, assim como em silicatos bidimensionais e alumino-silicatos em fases ordenadas e vítreas.