Importância e usos do gás para obtenção de energia vêm crescendo; evento na USP discute possibilidades e desafios para o gás num mundo que quer reduzir emissões.

Especialistas brasileiros e estrangeiros reúnem-se na Sustainable Gas Research & Innovation Conference 2017, nos dias 19 e 20 de setembro, em São Paulo, para discutir o futuro do gás e compartilhar o desenvolvimento de tecnologias inovadoras para viabilizar seu uso, em um cenário mundial de expectativa de redução de emissões de gases geradores de efeito estufa (GEEs).

O evento, organizado pelo Fapesp Shell Research Centre for Gas Innovation (RCGI), do Brasil, e pelo Sustainable Gas Institute (SGI), da Inglaterra, está em sua segunda edição e acontece no auditório do Centro de Difusão Internacional da (CDI) USP.

Além de pesquisadores dos dois institutos, participam também da conferência o Secretário de Minas e Energia do Estado de São Paulo, João Carlos de Souza Meirelles; o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, José Goldemberg; o vice-reitor da Universidade de São Paulo (USP), Vahan Agopyan; o pró-reitor de pesquisa da USP, José Eduardo Krieger; o diretor de separação de gás da Shell, Rob Littel e Plínio Nastari, membro do Conselho Nacional de Políticas Energéticas.

A abertura do evento fica a cargo do diretor de difusão e comunicação do RCGI, Gustavo Assi, seguido do vice-diretor do SGI, Adam Hawkes, e do diretor científico do RCGI, Júlio Meneghini. Depois falam os convidados já citados.

Por parte do Imperial College London, instituição que sedia o Sustainable Gas Institute, estarão presentes Kris Anderson, Velisa Vesovic e Cristiano Borges, pesquisadores do SGI e membros do Departamento de Ciências da Terra e Engenharia do Imperial College; Jamie Speirs, que apresentará o recente white paper A Greener Gas Grid: What are the Options?; Paul Balcombe, pesquisador associado do SGI  ligado ao Departamento de Engenharia Química do Imperial College; Sara Giarola, uma das coordenadoras do time de modelagem do SGI; Daniel Crow, também da equipe de modelagem do SGI; Sara Budinis, engenheira química e pesquisadora do SGI; Ivan Garcia Kerdan, pesquisador assistente do SGI e do Departamento de Engenharia Química do Imperial; David Daniel, Chief Energy Modeler da norte-americana EIA (Energy Information Administration) e Li Zheng, professor do Departamento de Energia Térmica da Tsinghua University.

Por parte do RCGI, estarão presentes todos os membros da diretoria e todos coordenadores de projetos com suas respectivas equipes. Entretanto, o formato do evento tem algumas mudanças com relação ao ano passado. Metade dos 29 projetos do RCGI será apresentada em palestras orais e a outra metade será apresentada em sessões de pôsteres, para as quais os apresentadores usarão cinco monitores de TV localizados estrategicamente no hall de entrada do anfiteatro. Coube aos coordenadores de programas selecionar os projetos apresentados em cada modalidade. As apresentações orais terão duração de 15 minutos, com 5 minutos adicionais para perguntas da plateia. As apresentações dos pôsteres durarão 10 minutos.

“O gás natural representa, a um só tempo, um imenso desafio e uma incrível oportunidade para o Brasil, tendo em vista a expectativa de que a produção brasileira cresça por conta da entrada em operação do Pré-sal. Nossos desafios incluem desde a tecnologia para o armazenamento e o aproveitamento do recurso – não só como energético, mas como matéria-prima para obtenção de outros recursos cujas tecnologias de aproveitamento ainda estão sendo desenvolvidas – até a infraestrutura para sua disseminação e transporte, passando pela formação de demanda e pela falta de cultura de uso do gás no País”, resume Julio Meneghini.

Ele ressalta, porém, que o RCGI mantém projetos que cobrem uma grande parte dos desafios tecnológicos, mercadológicos, logísticos e culturais que envolvem o uso do gás, do biometano e do hidrogênio, assim como formas de mitigar emissões de CO2 e outros gases que contribuem para o efeito estufa, tanto no Brasil quanto numa escala global. E reitera a inserção de 16 projetos adicionais ao portfólio do RCGI, em um novo programa dedicado a questões que envolvem redução de emissões de CO2, incluindo tecnologias de CCS e seus impactos ambientais, métodos para separação de gases e outras iniciativas. “Com esse quarto programa, aos atuais 150 pesquisadores do RCGI vão se juntar mais cem.”

Segundo Meneghini, a conferência é uma iniciativa única que possibilita às duas instituições e seus pesquisadores o compartilhamento de conhecimento, a trocar de ideias, a obtenção de insights e a apresentação de dados necessários para que se compreenda plenamente o papel do gás natural no cenário global de energia.

Serviço:

Sustainable Gas Research & Innovation

Conference 2017 acontece no Auditório do CDI da USP
(Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 222 – Cidade Universitária – São Paulo).

No dia 19/9, das 8h às 20h, e no dia 20/09, das 8h às 21h15.

Veja a programação completa em: https://goo.gl/g4GE9C