Cerimônia aconteceu na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e empossou 24 novos membros.

O diretor científico do Fapesp Shell Research Centre for Gas Innovation (RCGI), professor Julio Meneghini, tomou posse como Membro Titular da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (ACIESP) em cerimônia realizada na última quarta-feira (13/12), na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), na capital paulista. A eleição bianual para indicação dos novos acadêmicos foi realizada durante os meses de junho e julho de 2017. Foram escolhidos 24 acadêmicos em seis diferentes áreas do conhecimento: Biociências, Ciências Aplicadas, Física, Geociências, Matemática e Química. Meneghini foi indicado na área de Ciências Aplicadas, com um currículo que inclui 39 trabalhos publicados, 5 patentes e 1057 citações.

Entre os presentes na mesa estavam o presidente e a vice-presidente da ACIESP, Marcos Silveira Buckeridge e Vanderlan da Silva Bolzani, e o presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação e Informação da Alesp, deputado Orlando Bolçone (PSB). Buckeridge apresentou o resultado de um levantamento realizado pela ACIESP recentemente que mapeou a produção científica do Estado em 15 mesorregiões e calculou a evolução científica em cada uma delas.

“É uma honra integrar o corpo de membros da ACIESP, uma entidade que representa a ciência paulista, responsável por cerca de 50% da produção científica brasileira”, resumiu Meneghini. O diretor de difusão de Conhecimento e Comunicação do RCGI, Gustavo Assi, destacou que a condecoração é um reconhecimento importantíssimo, conferido pela relevância do trabalho do cientista e pelo impacto de suas produções ao longo de sua trajetória acadêmica. Assi também esteve presente no evento ao lado de Karen Mascarenhas, diretora de Recursos Humanos e Liderança do Centro.

Seleção – Os candidatos a membros da ACIESP são indicados por pelo menos dois membros titulares da instituição, sendo que o prazo para as indicações é de, no mínimo, três meses. Depois, a lista dos indicados é organizada por área de atuação. Uma comissão “ad hoc” examina então os currículos e sistematiza a lista de indicados que serão submetidos para votação pelos membros titulares das respectivas áreas. Os candidatos que obtiverem de seus pares a metade dos votos, mais um, são submetidos à votação por um colégio eleitoral formado por todos membros titulares, independentemente de suas áreas. Os escolhidos como novos membros são aqueles que conquistam mais da metade dos votos dos titulares nesta última fase.